quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Hiperatividade pode ser a causa de crise conjugal

A revista Isto é desta semana traz interessante matéria sobre como a hiperatividade pode atrapalhar a relação conjugal. 

Problemas cotidianos como esquecer de buscar os filhos na escola,  não lembrar de pagar contas, mau-humor constante, falta de atenção podem ser resultados do  Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade conhecido pela sigla TDAH. O distúrbio neurobiológico provoca dificuldades de concentração e organização, impulsividade e irritabilidade chegando a atingir 5% da população.

Muitos relacionamentos terminam se desgastando em conseqüência desse problema que pode afetar tanto homens quanto mulheres, embora estima-se que 80% dos portadores do distúrbio sejam do sexo masculino.

O Transtorno do Déficit de Atenção já vem sendo há tempos estudado devido aos problemas causados nas crianças no aprendizado escolar. Agora, com o lançamento do livro  “The ADHD Effect on Marriage – Understand and Rebuild Your Relationship in Six Steps” (Os efeitos do TDAH no casamento – entenda e reconstrua a sua relação conjugal em seis passos) da pesquisadora americana Melissa Orlov, o assunto passa a ganhar destaque também devido ao seu efeito nos casamentos.

No livro, a especialista auxilia os casais a identificar e a conviver com o problema pois o cônjuge de um portador de TDAH vive infeliz, sentindo-se sobrecarregado, ignorado e abandonado. Já quem possui o transtorno, vive em constante frustração por estar sempre sendo alvo de críticas. Segundo um estudo entre casais americanos citado pela pesquisadora,  a mulher, que normalmente já é sobrecarregada por assumir cerca de 60% das tarefas domésticas tem este percentual aumentado parar 95% quando esposa de um portador do transtorno.

Para evitar a degradação gradual do casamento o principal é identificar o problema. A matéria da revista Isto é ilustra casos em que o portador descobriu que tinha o problema quando procurou tratamento para o filho, já que o transtorno é hereditário.  Nesse sentido a busca por ajuda especializada é fundamental. Com tratamento adequado, medicamentos e terapia (cognitiva comportamental), o portador poderá diminuir o ritmo além de aumentar seu poder de concentração e planejamento.

A pesquisadora Melissa indica alguns passos que ajudam a lidar com o problema:

- Eliminar emoções negativas (como a raiva crônica)  dando um basta nas discussões e aumentando o respeito e a compreensão.

- Buscar tratamento adequado tanto para o portador quanto para o cônjuge.

- Melhorar a comunicação do casal.

- Como o portador de TDAH tem dificuldades em manter a atenção numa conversa, é preciso eliminar a distração provocada por estímulos visuais e auditivos. Desligar a TV durante as conversas do casal pode ajudar.

- “Estabelecer limites” e “resgatar o romance” pois segundo a pesquisadora “Muitos casais esqueceram o que é se divertir juntos, algo fundamental numa relação conjugal”.

Fonte: Revista Isto É


Direitos Autorais

É expressamente proibida qualquer forma de cópia integral de qualquer postagem deste blog. No máximo você poderá citar trechos dando os devidos créditos e colocando link para postagem original. Caso você não obedeça essa determinação arcará com a responsabilidade perante a legislação sobre direitos autorais.

Se você achar que algum post está utilizando trechos de textos ou imagens que de alguma maneira firam seus direitos, por favor entre em contato no email contato@rstri.com


Postagens populares