quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Belchior revela porque está desaparecido numa carta a um amigo


Exclusivo: Belchior revela porque desapareceu, numa suposta carta a um amigo

(Atenção: o texto abaixo é fictício, é uma composição feita por mim (Daniel Elói Oliveira /www.rstri.com ) de várias frases retiradas de letras de músicas compostas pelo grande Belchior que anda desaparecido conforme tem noticiado a imprensa (inclusive internacional).
Fiz questão de citar ao lado de cada frase a canção de origem.
É uma espécie de homenagem bem humorada ao genial compositor de tão belas canções que muito me influenciaram, sobretudo por eu tê-las tocado em bares durante alguns bons anos de minha vida.)

---

Amigo,
Há tempo, muito tempo Que eu estou Longe de casa (Tudo Outra Vez)
Como eu andei distante Quando eu desapareci, (Tudo Outra Vez)
Quero lhe contar como eu vivi e tudo o que aconteceu comigo. (Como Nossos Pais)
E se você me perguntar por onde andei, de braços abertos lhe direi:
Amigo, eu me desesperava... (A Palo Seco)

Estava mais angustiado que um goleiro na hora do gol. (Divina Comédia Humana)
É que Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo do interior (Rapaz Latino Americano)
Quando havia galos noites e quintais. (Galos Noites e Quintais)

Eu me lembro muito bem do dia em que eu cheguei
Jovem que desce do norte pra cidade grande
Que no sul viveu na rua e que ficou desnorteado, como é comum no seu tempo (Fotografia 3 X4)

Que caminha para a morte pensando em vencer na vida
Feito gente honesta, boa e comovida
Que tem no fim da tarde a sensação Da missão cumprida (Pequeno Perfil de Um Cidadão Comum)

Pois é, “tendo dinheiro” não há coisas impossíveis (Pequeno Perfil de Um Cidadão Comum)
E esses casos de familia e de dinheiro eu nunca entendi bem (Fotografia 3 X4)

Os Anos Vão Sumindo em Nossas Mãos. Hoje tenho 63 anos, de sonho de sangue e de América do sul (A Palo Seco)
E por conta deste destino eu sei de tudo na ferida viva do meu coração... (A Palo Seco/Como Nossos Pais)
O tempo andou mexendo Com a gente Sim... (Comentário a Respeito de John)

Eu estou muito cansado De não poder falar palavra
Sobre essas coisas sem jeito Que eu trago no peito (Todo Sujo de Batom)
Pela dor eu descobri o poder da alegria
E a certeza de que tenho coisas novas pra dizer (Fotografia 3 X 4)

Já faz tempo, cabelo ao vento, gente jovem reunida
Na parede da memória Essa lembrança É o quadro que dói mais... (Como Nossos Pais)

Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo, tudo que fizemos.
As aparências não enganam não: Há perigo na esquina, “Eles” venceram e o sinal está fechado prá nós (Como Nossos Pais)

Ah! Enquanto essas senhoras e esses senhores viram o jogo contra nós e põem o mundo a seu favor- que horror!
São Paulo violento, Corre o rio que me engana, Copacabana, zona norte... (Lamento do Marginal bem sucedido)
Nada é divino, nada é maravilhoso, nada é sagrado, nada é misterioso, não...(Rapaz Latino Americano)
É a chaminé à toa de uma fábrica, que fabrica este “ar puro” da alvorada. (Aguapé)

Mesmo vivendo assim, não me esqueci de amar (Lamento do Marginal bem sucedido)
Um analista amigo meu disse que desse jeito eu não vou ser feliz direito (Divina Comédia)

Então, dentro do carro (por medo de avião) sobre o trevo a cem por hora (Medo de Avião / Paralelas)
Não preciso que me digam De que lado nasce o sol Porque bate lá meu coração (Comentário a respeito de John)
E as paralelas dos pneus n'água das ruas São duas estradas nuas (Paralelas)
E eu prefiro andar sozinho! Deixem que eu decida a minha vida! (Comentário a respeito de John)
Ora direis: “Certo, perdeste o senso”, “que coisa adolescente, James Dean...” (Divina Comédia / Medo de Avião)
Eu vos direi no entanto: Viver é melhor que sonhar. E eu sei que o amor é uma coisa boa. (Divina Comédia / Como Nossos Pais)
Mas Não quero o que a cabeça pensa. Eu quero o que a alma deseja (Coração Selvagem)
E uma dose de amor, esse artigo sempre em falta, cairia muito bem em mim (Lamento do Marginal bem sucedido)
Mas não se preocupe meu amigo Com os horrores que eu lhe digo (Rapaz Latino Americano)
Talvez você possa compreender a minha solidão. E esse jeito de deixar sempre de lado a certeza (Coração Selvagem)
E arriscar tudo de novo. Andar caminho errado pela simples alegria de ser (Coração Selvagem)

Pediremos ao bom Deus que nos ajude.
Eu sou como você: Meu coração é como vidro, como um beijo de novela (Coração Selvagem)
Ps: Ah! fique aqui, só entre nos dois, este papo amarelo de dor (Lamento do Marginal bem sucedido)
Belchior

(montagem por Daniel Eloi Oliveira, ao reproduzir citar a fonte: www.rstri.com)


Direitos Autorais

É expressamente proibida qualquer forma de cópia integral de qualquer postagem deste blog. No máximo você poderá citar trechos dando os devidos créditos e colocando link para postagem original. Caso você não obedeça essa determinação arcará com a responsabilidade perante a legislação sobre direitos autorais.

Se você achar que algum post está utilizando trechos de textos ou imagens que de alguma maneira firam seus direitos, por favor entre em contato no email contato@rstri.com


Postagens populares