sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Airbus quer acabar com as Caixas pretas

O fabricante europeu de aviões Airbus quer acabar com as famosas caixas pretas dos aviões. Numa entrevista publicada hoje no jornal francês Le Parisien, o presidente da empresa Thomas Enders anunciou que a Airbus, junto com seus parceiros e fornecedores está trabalhando na possibilidade de enviar dados durante o vôo em tempo real via satélite para uma base  em terra.  Essas importantes informações sobre o vôo não estariam mais restritas às caixas-pretas. O principal motivo é que em alguns casos (como no recente acidente da Air France)  as caixas pretas não são possíveis de serem recuperadas ou ainda estão muito danificadas dificultando ou impossibilitando a recuperação dos dados. Enders disse ao jornal que “Para melhorar a segurança do transporte aéreo nós temos que garantir a recuperação de todos os dados sobre o vôo.”

O sistema transmitiria dados técnicos continuamente por VHF se estiver a menos de 125 milhas de uma estação receptora ou ainda via satélite quando estiver além desta distância. Após receber os dados do avião diretamente ou pelo satélite, a estação retransmitiria para um centro de recepção da companhia aérea.

O debate em torno das caixas-pretas foi intensificado depois do acidente aéreo com o A330 da Air France em Junho no Brasil em que morreram 228 pessoas e cuja causa ainda é desconhecida.  A busca pela caixa-preta é peça chave na investigação deste acidente e deverá ser retomada em alguns meses numa operação que deverá contar com a participação de vários países incluindo os Estados Unidos. O custo desta nova fase de buscas já foi estimada em várias dezenas de milhões de dólares.

A transmissão de dados de vôo a partir da própria aeronave não chega a ser uma novidade. Um avião normalmente já transmite alguns dados usando VHF ou satélites para sua empresa aérea em terra. Mensagens Codificadas chamadas de ACARS (Aircraft Communication Adressing and Reporting System) são enviadas continuamente em intervalos de cerca de 10 minutos para os centros de manutenção de qualquer companhia aérea. Nessas mensagens vão informações sobre o trajeto percorrido pelo avião, velocidade e posição da aeronave, além de alertas para o pessoal de manutenção em terra sobre eventuais problemas a serem verificados logo que a aeronave pousar no seu destino. No total são cerca de 100 parâmetros cobertos pelo sistema sendo que alguns desses dados são gravados também nas caixas-pretas.

No caso do acidente da Air France no Brasil cerca de 24 mensagens dessas foram enviadas automaticamente para o centro de manutenção da companhia aérea na França. Essas mensagens mostraram inconsistências nas medidas de velocidade da aeronave um pouco antes dela perder contato com a base.

A implementação de um sistema que cubra todas as informações sobre o vôo e que funcione em tempo real transmitindo-as continuamente não é tarefa fácil. Por exemplo, quantos satélites seriam necessários para cobrir milhares de aeronaves voando nos céus diariamente? Onde estes dados seriam armazenados? E qual seria o custo de tudo isso?

Já está marcada para o ano que vem uma reunião da Organização Internacional de Aviação Civil para discutir estas questões.

Via: WWW.ABCNews.com

Direitos Autorais

É expressamente proibida qualquer forma de cópia integral de qualquer postagem deste blog. No máximo você poderá citar trechos dando os devidos créditos e colocando link para postagem original. Caso você não obedeça essa determinação arcará com a responsabilidade perante a legislação sobre direitos autorais.

Se você achar que algum post está utilizando trechos de textos ou imagens que de alguma maneira firam seus direitos, por favor entre em contato no email contato@rstri.com


Postagens populares