" Tinha o homem do gato, que era muito engraçado o que ele
fazia. Conhece? Ele tinha um saco com um rabo amarrado pra fora. Passava uma
senhora, geralmente mulher: “A senhora não quer comprar o meu gato?” “Não
quero.” “Mas compra meu gato. O gato é angorá, é manso.” E ele enfiava a mão no
saco e o gato começava “meeáá” (imita miado de gato brabo), jogava o saco e
bumba!, dava paulada no gato. A mulher ficava indignada: “O senhor vai matar o
gato!”. “A senhora não quer comprar, não se meta.” E bum, bum, meeaa! Era uma
briga de gato! Aí a mulher chama o guarda. “Que que foi, minha senhora?” “Ele tá
matando o gato.” Aí ele tirava e era só o rabo. O que ele vendia era só um apito
que imitava gato. Putz! Aí ele vendia aquilo aos punhados! E a mulher ficava
puta! (Risos) Era um apito que imitava um gato. E ele era um artista.
Teve um amigo meu, empresário, que falou pra mim “Pô, vê com aquele cara se ele
não quer viajar num navio até o Japão”. Porque ele tocava violão, tinha sido
artista de circo. Tocava violão, cantava e fazia o gato. Tocava música imitando
gato. Eu perguntei e ele disse “Vou sair da rua pra ir viajar, porra?”. Ninguém
quer sair da rua. Se eu vivesse, nem eu queria sair mais da rua. Porque é
sensacional."


Pois como tudo que é irreverente vai parar no YouTube , meu sobrinho João Batista achou
esse vídeo e me enviou.


Vale a pena assistir aqui e também ao vivo. A última vez
que o assisti foi há umas duas semanas no brique da redenção em Porto
Alegre.


Mas recomendo não se aproximar muito quando estiver
assitindo-o ao vivo pois corre-se o risco de ser alvo de alguma de suas tiradas
geniais, como a que eu presenciei um dia desses: O Homem do Gato fazia seu show
e passou um cara engravatado praticamente atravessando o meio do círculo da
apresentação. Indiferente ao espetáculo de rua nem percebeu que o homem do gato
parou subitamente a apresentação e ficou olhando sério pro cara. Aí o artista de
rua lascou:


--" Tava bom ontem lá?... "


O cara parou e o olhou meio que na dúvida se era com ele
que estavam falando. Depois seguiu seu passo apressado.


Aí Homem do Gato completou:


--" O baile Gay..."


Prá gargalhada geral dos espectadores ao seu
redor.